18 de Dezembro de 2017

Notícias : Geral    Qui, 08/12/2016

1º Dia de Campo do Artesanato em Aratiba

Evento reuniu trabalhos realizados por beneficiários do Programa de Atenção Integral às Famílias (PAIF) e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras)


Diadecampoartesananto1

O 1º Dia de Campo do Artesanato de Aratiba, realizado na terça-feira, 06 de dezembro, no Salão Paroquial, reuniu trabalhos confeccionados por 15 grupos da sede e da área rural, beneficiários do Programa de Atenção Integral às Famílias (PAIF) e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras). O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, em parceria com a Prefeitura de Aratiba, por meio da Secretaria de Assistência Social, Cras e Associação dos Deficientes Físicos de Aratiba (Adar).


Na abertura, o prefeito, Luiz Ângelo Poletto, parabenizou as participantes e observou que as oficinas de artesanato, além do aprendizado, possibilitam mais uma fonte de renda. Poletto desejou que o trabalho tenha continuidade no município. “Essa atividade oportuniza pela primeira vez a exposição e divulgação dos trabalhos juntos”. O trabalho também foi enaltecido pela secretária Municipal da Assistência Social, Zelia Rörig, e pela coordenadora do Centro de Referência Assistência Social (Cras), Suzana Flack.


A integração que atividade proporciona, a autoestima, a troca de experiência entre os grupos e o aprendizado, também foram destacadas pela extensionista social da Emater/RS-Ascar, Fernanda Tacca Angonse, que agradeceu as parcerias envolvidas em nome do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim. Fernanda também palestrou enfocando o tema “compartilhando vivencias e habilidades”. Ela chamou atenção para as diversas utilidades do artesanato, entre elas, o complemento de renda, o aspecto terapêutico, social, recreativo, lúdico e decorativo.


Após a palestra, foram realizadas oficinas de artesanato com repasse de técnicas de revestimento de tecido e de patchwork. Os materiais utilizados na produção das peças, como tintas e tecidos, entre outros, foram adquiridos pelo programa PAIF.


A produtora, Maria Francisca Piekas, fez um agradecimento em nome dos grupos. “Este é um momento especial. Nas oficinas trocávamos a tristeza pelos pincéis. Trocamos exemplos de vida”, exclamou. Ela agradeceu também as parcerias e as monitoras. “Elas nos incentivavam a vencer as dificuldades iniciais quando não sabíamos nem segurar os pincéis”, lembrou.


Dinorá Salete Ongaratto, 49 anos, moradora da localidade Pio X, conta que as oficinas de artesanato ajudaram a superar a depressão. Ela observa que mesmo saindo de casa para trabalhar e tendo outras ocupações e renda convivia com a depressão. “Para mim o artesanato é uma coisa nova e hoje me sinto bem”. Salete conta que no inicio tinha dúvidas se iria aprender, mas com o incentivo das monitoras, aos poucos, foi vencendo as dificuldades. Salete conta que, além de superar a depressão, ganhou habilidades com pincéis e tintas e já pensa em aprender outras técnicas, como patchwork.


A extensionista do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Aratiba, Angelisa da Silva Silveira, observou que os grupos integrados por produtoras e portadores de deficiência se reúnem semanalmente para fazer os artesanatos. “Essa também é uma atividade que integra o plano socioassistencial desenvolvido pela Emater e Secretaria da Assistência Social e quando foi apresentada a ideia de fazer um Dia de Campo a proposta foi aceita por todos”, contou. Na parte da tarde, a feira de artesanato foi aberta à visitação do público.


 

Fonte: Assessoria de Imprensa